segunda-feira, 31 de março de 2008

Quartinho dele

Comparações

Como estava na outra casa



Como está...

Está oficialmente inaugurada a Nossa Casinha Nova

Só ontem ao final do dia, achei que a casa estava limpa e arrumada o suficiente (sim porque ainda há coisas para montar e arrumar) para nos mudarmos para lá.
Desde que fiz as mudanças, iamos lá limpar e dar um jeito nas coisas mas nunca lá ficámos, sempre tive a ideia fixa que deviamos entrar os três para o Nossa casa, deviamos ser os três a dormir pela primeira vez lá e não só nós os dois.
Como referi num post anterior, o B. conhecia a casa mas só ontem a viu com as nossas coisas.
Não quis que ele participasse nas mudanças e arrumações pois achei que era pó e bagunça a mais para ele e ia acabar por atrapalhar e causar-nos algum arreliação.
Apesar de ainda haverem coisas fora do sitio, a maior parte está arrumada e limpa.

Foi engraçado vê-lo entrar pela porta à procura do seu quarto, primeiro olhou para a sala pois pensava que tinhamos ido na conversa dele em que dizia que queria o seu quarto ali (sala). Depois seguiu em frente e deu logo com o quarto, mirou tudo ao pormenor, ficou contentíssimo com os novos residentes e com a decoração do quarto.
De seguida visitou as outras casas e voltou para o seu quarto.

Foi dificil tirá-lo de casa para irmos jantar. Veio com a promessa que voltaríamos depois de comer para dormir lá e iniciarmos de uma vez por todas a Nova Etapa da Nossa Vida.

quinta-feira, 27 de março de 2008

Porque será? II

Que quando andamos felizes da vida, tem que vir algo que nos tire o sorriso da cara.
Que nos deita abaixo, que nos corta por dentro.
Estou cansada, muito cansada.
Farta de remar contra as adversidades da vida.
Deixei-me um pouco em paz. Já chega!
Será que não tenho direito a ser feliz? Será que é pedir muito? Será?
Eu até nem peço muito, só peço estabilidade na minha vida, na nossa vida!

Desculpem o post cinzento escuro mas eu hoje estou assim, como o tempo.
A sorrir com vontade de chorar.

Mas como eu costumo dizer a quem quero consolar, Melhores dias virão!

segunda-feira, 24 de março de 2008

Pois bem, voltei para contar como foi!

Na quinta-feira para não fazer 35 Km por apenas meio dia, tirei a manhã de férias.
Aproveitámos o dia e tentámos adiantar mais algumas coisita lá por casa.
Por incrivel que pareça nada correu como desejado. Não consegui arrumar o que queria pois só hoje lá foram arranjar pequenos pormenores que entretanto foram detectados. Ainda não estamos a nossa nova casinha.
Fizémos as contas e para chegar perto da hora de jantar (21h) tinhamos que sair por volta das 18h. Malas feitas à pressa e com o que vinha à mão, iniciámos a nossa viagem. Tinhamos pela frente, mais ou menos 300 Km/duas horas e meia.
Quando estámos a 5 km, liguei para a minha mãe, tal e qual como faço todos os dias, e disse-lhe que só poderíamos ir Sábado pois não tinha sido possível arrumar tudo. Após breve conversa, a minha mãe passou-me o B. e fui puxando conversa, puxando conversa até me encontrar a bater à porta com telemóvel na mão.
Demoraram uma eternidade (para mim) a abrir a porta e qual no foi o espanto da minha mãe.
Chamou o B e disse-lhe para vir à porta ver quem era. A minha cadelinha denunciou-me pois ela entrou primeiro e ele conheceu-a logo. Só oiço lá de dentro MÃE!
Não sei explicar o que senti quando o vi, quando o abracei e cheirei, quando olhei bem para ele e vi o que cresceu, o que engordou, o que em três semanas ele mudou.
Depois do abracinho à Mãe passou para o Pai.
Após a euforia inicial, mostrou-se "zangado" comigo pois tinha-o enganado, estava ao telefone com ele como se tivesse longe e afinal estava ali à porta.

Passado algum tempo e depois de lhe dar mais um beijinhos, diz-me ele:
"- Oh Mãe, já chega, já destes muitos beijinhos"
Mas disse aquilo com um olhar tão terno, tão soft como se não me quissesse magoar.
Na meia hora seguinte não lhe dei mais nenhum, respeitei-o mas depois voltei à carga.

Estou completa novamente.

Olá

Antes de contar como correu o fim de semana, quero aqui deixar uma Corrente de Força por uma menina que procura realizar o seu sonho há 17 anos.
Talvez todas as minhas meninas a conheçam mas também eu quis participar e espero do Fundo do Coração que a Susana Pina, consiga chegar a Bom porto e que daqui a uns meses possamos estar aqui a relatar com muita alegria mais um nascimento.

Quem quiser é só levar!

quarta-feira, 19 de março de 2008

De fugida

para vos desejar uma Feliz e Santa Páscoa.
Vou de fim de semana XXL.
Só regresso segunda-feira e muito bem acompanhada :-)
Vou "desfazê-lo" em beijinhos e abraços, vai ser só meu nos primeiros minutos!
Depois logo divido um bocadinho com o Papá.

Beijinhos Doces


Imagem retirada da net

segunda-feira, 17 de março de 2008

A grande preocupação do meu filho é...

Saber o que já está no seu quartinho.
Desde que se apercebeu que fizemos as mudanças, o B. todas as vezes que lhe telefono (duas ou três por dia) pergunta o que já está montado e guardado no sitio certo.
Para que não decida fazer birra para vir embora, para matar a sua curiosidade, nos primeiros dias disse-lhe que ainda não tinha nada. Como o dia se está a aproximar, mudei de discurso e lá lhe fui contando que algumas das suas coisinhas já lá estão à espera dele.
Pois muito bem, sabendo que a sua cama, móveis e brinquedos já estão no sitio certo, arranjou outra preocupação. Sabem qual?
Saber se a sua televisão tem o Panda e o Disney!
Uma preocupação muito grande a do rapaz. Quem me dera que as minhas também fossem assim, tão despreocupantes.

Não sei

Como existem mães que...
tratam mal os filhos,
não lhes dão amor e carinho,
ignoram-os pura e simplesmente.

Está a começar a terceira semana que estou longe da minha cria e estou a morrer de saudades. Ontem, enquanto arrumava as suas coisitas no quartinho, vinham-me as lágrimas aos olhos.



Olhar para as suas fotos, os seus desenhos, os seus brinquedos...
Sinto falta do seu carinho, do seu sorriso, das suas respostas prontas na ponta língua, do seu refutar ao que lhe digo, da sua lentidão ao jantar que me leva ao desespero. Sinto falta DELE.

Podem ser chatinhos, birrentos, teimosos e casmurros, mas são NOSSOS FILHOS.
Eu pelo menos penso e sinto assim.

quinta-feira, 13 de março de 2008

Desculpem a minha ausência

Mas ainda ando à volta com papeis e mais papeis.
Já consegui marcar para amanhã a abertura da água, luz e gás, a tv cabo é para mais tarde, por agora não faz muita falta pois o ratinho não está cá.

Falta actualizar TANTA coisa, só nestas situações nos apercebemos da quantidade de entidades que têm os nossos dados e é necessário alterar.

Mas as coisas estão a compor-se, lá em casa já está metade arrumado, falta a outra metade. Só tenho este fim de semana para isso, pois para o próximo já vou buscar o B. (nunca mais chega o dia, estou a morrer de saudades dele) e quero ter tudo pronto quando ele chegar.

Estou desejosa de ver a carinha dele. Ele conhece a casa mas nunca a viu com as nossas coisinhas, nunca viu o seu quartinho pintado, montado e arrumado. Parece que o estou a ver, entrar pela porta adentro e ir inspeccionar tudo, começando pelo seu quarto, depois a sua casa de banho, sim porque o rapaz vai ter uma casa de banho só para ele e é maior que a dos pais e tudo, e continuando por aí fora!

Desculpem-me mais uma vez a falta de noticias e a falta de visitas aos vossos cantinhos, vou tentar que para a próxima semana volte tudo ao normal, à mesma rotina, pelo menos por aqui.

:-)

segunda-feira, 10 de março de 2008

O dito Segredo...

que todas aguardam!

Na altura em que engravidei, nós morávamos num local e trabalhávamos a 35 km de distância.
Após alguma ponderação e contrariando tudo e todos, decidimos comprar casa na mesma cidade em que trabalhávamos pois achávamos que o B. iria precisar muito de mim e não devia perder tanto tempo de viagem (+- 45 minutos de comboio) .
Assim foi. Estava a dez minutos do trabalho mas longe da família.
Ao principio deu muito jeito, estava perto do meu filhote. Se havia algum problema eu estava perto e depressa chegava junto dele mas naquelas ocasiões em que ele adoecia, lá ia eu direitinha aos meus pais para que pudessem tomar conta dele e eu não faltar ao trabalho, ficava sem o ver dois ou três dias.
Conforme o B. foi crescendo, fui-me apercebendo que já não precisava tanto de mim como ao início.
Sempre tivemos em mente um dia voltarmos às nossas raízes.
Quando o ano passado a minha sogra adoeceu, decidimos na hora voltar para o B.
Infelizmente ela faleceu pouco tempo depois mas a nossa decisão estava tomada. Eu quis voltar para junto dos meus.
Pois bem, por incrivel que pareça o processo levou estes meses todos. Quando parecia estar quase a terminar surgia alguma coisa que atrasava tudo outra vez.
Ainda ando à volta com algumas coisas mas neste momento posso dizer que a casa já é nossa, já lá temos os nossos tarecos. Ainda não estamos lá, estamos nos meus pais mas aos poucos estamos a arrumar tudo para quando o B. voltar. Para que ficássemos mais à vontade os meus pais foram passar umas semanas à terra e levaram o gajinho. Estou cheia de saudades dele, já não o vejo à nove dias e ainda está um pouquinho longe o dia de o ir buscar. Esta é a parte mais triste do bom momento que estamos a atravessar.

E o segredo era este. Para vocês pode parecer sem importância e não ser a noticia que muitas esperavam, a chegada da cegonha, mas para mim é MUITO importante.
Estou mais longe do emprego, vou ter que me levantar mais cedo, vou levar mais tempo a chegar, vou sentir-me mais cansada ao fim do dia MAS vou estar de coração cheio, vou estar mais perto de todas as pessoas importantes da minha vida.
O B. poderá ver os avós todos os dias e não só de 15 em 15 dias. Quando entrar para a escola irá ter lá os avós para o apoiar, para lhe levar um miminho ao lanche, ao contrário do que iria acontecer aqui, em que o iria colocar na escola de manhã e o iria buscar à tarde.
Penso, para não dizer que tenho a certeza, que lá seremos mais FELIZES.

Deste lado, deixei pessoas que me são muito queridas, mas essas vejo-as todos os dias.

Voltei

Estou de regresso à blogoesfera.
Peço desculpa pela ausência mas tirei uns diazitos de férias.
Venho pronta para revelar o meu segredo, o dia D não foi a 28 de Fevereiro mas sim a 6 de Março, e após alguns precalços tudo correu bem.
Após um ano e 10 dias, finalmente o processo terminou.
Encerrou-se uma étapa da nossa vida e iniciou-se outra.
Agora vou ali escrever o post para poder satisfazer a curiosidade das meninas.
Não é nada de especial nem o que muitas meninas esperam mas para mim CONTA muito.

Até já.
São só mais uns minutinhos...